segunda-feira, maio 22, 2006

Hoje.. Mais um dia, mais horas, mais vivencia, mais monotonias.. O dia é sempre o mesmo, os rituais diários a que o mundo e a sociedade nos sujeitam que não nos deixam viver os nossos sonhos.
Hoje.. Quase que consegui fazer o que era suposto.. mas ainda n consegui.. Porque cometi aquele pequeno erro.. Tenho de ser mais forte e é se quero mesmo atingir o dito objectivo.. Preciso mesmo de o fazer..
Hoje.. Choveu, não gosto de quando chove. Não gosto assim do mau tempo.

a barriga da horas, mas não pode dar...

domingo, maio 21, 2006

Que sonho estranho o que tive esta noite.. mas foi como que uma metáfora da minha vida. Porque se calhar sinto-me assim sozinha.. Mas não era suposto sentir-me porque tenho muita gente á minha volta preocupada comigo e a querer ajudar-me.. Será que não chega?
Será que sou um ser humano normal e egoista como os outros e por isso quero mai e mais..?? Deve ser da minha ambiciosidade. Quero mais e mais apoio mesmo não necessitando dele. Porque acho que este me chega, é o suficiente.
Cada dia que passa me sinto mais calma e consigo pensar com mais coerencia.
Olho as fotografias, trazem-me boas recordaçoes, bons momentos passados, sorrisos. E neste momentos é importante mesmo conseguir sorri e ainda bem que tenho conseguido faze-lo todos os dias.
Ontem o cinema com a minha mae também me fez muito bem. É sempre bom vermos aquelas comédias romanticas que nos fazem rir até que nos doa a barriga. Mas trazem sempre um quê de nostalgia. Porque afinal de contas não é real e hoje em dia não há quem faça por nós o que fizeram no filme pela rapariga. E isso deixa-me triste porque ja desacredito no amor. Pelo menos neste sentido de homem-mulher. Já não existe e nunca existira. Na minha opiniao existe apenas o amor de pais-filhos, entre irmaos, avós-netos (que eu não tendo sei que existe na mesma). Cada vez menos abafo a esperança, na minha cabeça, de um dia vir a casar. Já não faz parte dos meus planos e eu não percebo porquê. Não percebo porque é que as minhas amigas todas pensam nisso e eu não. Não percebo porque é que a maior parte acredita nisso e eu não. Sou mesmo diferente, sou mesmo estranho. Neste aspecto sinto-me posta de lado. Sinto-me integrada num grupo de pessoas em que só la estou porque é: "se não os podes vencer junta-te a eles"..
Para a semana começarei o plano em que faço mal ao meu corpo e mente, mas não quero saber porque quero é atingir o meu objectivo, quero é ser mais feliz e da forma que idealizei e sonhei. Da forma que quero e ninguém me impedirá porque a vida e o corpo são meus e se já consegui uma vez e não morri porque não voltar a faze-lo?
Afinal de contas, não tenho nada a perder, apenas a melhorar.


A barriga dá horas...

quinta-feira, maio 18, 2006

Tudo é tao estranho, a minha vida está estranha, o meu dia foi estranho, a cabeça está estranhamente confusa. O medo do desconhecido invade-me o corpo, a alma e a mente. Só desejava que tudo tivesse sido um pesadelo e que quando entrei naquele consultorio a médica tivesse dito, está tudo bem e foi apenas um susto. Mas não o susto foi mesmo real, o susto tornou-se em facto real. Um facto que não pode ser modificado.
É horrivel não saber o dia de amanha, é mau não ser bem esclarecida, é mau estar tão em choque que não se consegue sequer fazer perguntas ou memorizar tudo o que a médica diz. Tenho cada vez mais medo. Doeu tanto tanto tanto. Não quero voltar a passar por algo igual.
Custa crescer, custa não ter ninguem que nos evite a dor tanto fisica como psicologica. Neste momento apetecia-me ficar o resto do dia e toda a noite a chorar fechada no quarto e por baixo dos cobertores. Não me apetece ver ou ouvir ninguém, tenho medo. Parece que vai demorar uma eternidade a sair os resultados, tenho medo de morrer cedo. Eu não quero, tenho tanto para viver e tantos sonhos para realizar...
Estes quinze dias vão ser muito longos, tenho a certeza. O não poder viver a vida normalmente porque não posso fazer esforços, as lembraças da consulta e dos tantos exames feitos hoje, as pessoas á minha volta que me querem ajudar e perante as quais me faço de forte. E se eu morro? Tenho tanto medo. Quero voltar atrás no tempo, não quero agir mal, quero ser saudavel outra vez, quero parar de chorar, quero deixar de estar assustada. Não quero que me digam que vai correr tudo bem, não quero porque se ninguem tem a certeza disso ninguem o poderá dizer. Porquê? Porquê a mim?
Eu não posso ter o pior. Queria tanto ser positiva, mas deve ser das coisas mais dificeis á face da terra neste momento.
Hoje apesar da dor sorri e ri. Faz-me bem estar na escola, pelo menos por momentos não penso no pior.

As lágrimas não param de escorrer...

domingo, maio 14, 2006

Nunca mais chega o dia, a hora, o momento.
Tenho medo e preciso de ser esclarecida.
Tenho medo de morrer cedo sem concretizar os meus tantos sonhos.
O sol é cada vez menos forte e quente. Já não há lua que alumie a minha noite. Não há muita esperança, mas sei que não posso deixar morrer a que me resta. Só que é tão dificil fazer com que isso não aconteça. Ás vezes tenho vontade de deitar tudo para o ar e fugir para longe. Tenho vontade de sair de casa e nunca mais voltar. De viajar e ser realmente feliz.
Ontem encontrei-te e estivemos a conversar como nunca tinhamos conversado antes. Foi tao fixe. Adorei mesmo a nossa conversa. Apesar da diferença de idades pensamos da mesma forma ou pelo menos eu por querer tanto pensar daquela forma até disse que assim pensava. Mas lá no fundo ás vezes não é bem assim. Mas tu admiraste-me e eu fique feliz por isso. Senti-me especial. Guardo muitas recordaçoes nossas as quais tu também recordas e isso é bom. É sinal que não foram momentos banais mas sim especiais. Porque afinal de contas são muitos anos mas tao poucos momentos, não percebo, é mesmo muito estranho. 4 anos e meia duzia de recordações. Se calhar assim é melhor porque realmente se são assim tão poucas é porque são realmente especiais.
Também o vi e estive com ele e dancei com ele e fumei com ele e foi giro e gostei. Foi importante aperceber-me de que consigo finalmente ter as coisas bem defenidas na minha cabeça e apesar de tudo no meu coração.
Cada vez mais tenho descredibilidade nas pessoas, mas em quase toda a gente e não percebo porquê. Hoje em dia acho que não pessoas para todos os momentos, acho que há pessoas para momentos especificos. Por exemplo, amigos pa sair á noite, amigos pa sair de dia, amigos pa chorar, amigos para rir (estes ás vezes podem ser os mesmos, mas nem sempre), amigos para contar a nossa vida, amigos para beber, amigos para contar os nossos sonhos. Não entendo o porquê mas acho que ainda não encontrei um amigo com quem consiga fazer tudo isto, não há. Há sempre um enorme numero de incompatibilidades, de experiencias de vida diferentes que nos fazem ser tão diferentes uns dos outros.
Tenho grandes e bons e especiais amigos. Não tenho falta disso e conheço muita gente o que faz de mim uma pessoa bastante sociavel e que pouca gente não gosta. É raro alguém não se dar bem comigo, mas para isso tenho de engolir muitos sapos e muitas vezes mesmo.
Mas a vida não para, os dias correm e estão cada vez mais perto momentos decisivos da minha vida. Eles estão a chegar e eu começo a ficar com o friozinho desconfortante na barriga. Estou confiante mas não na totalidade sinto que vão aparecer muitos obstáculos que serão bem dificeis de ultrapassar. Mas a vida não pode ser sempre fácil porque se não, não era vida e não se chamaria assim.

A garganta continua a doer...

quarta-feira, maio 10, 2006

Preciso de um toque no coração, preciso de uma mão suave e segura para me sentir protegida, já não é possivel sentir isso e quando pensas que finalmente encontraste horas depois o sonho apaga-se e desaparece.
Sinto-me doente e a morrer por dentro. Cansada e triste. Horrivel e mal-disposta. Falta-me algo, sinto o vazio e o medo a crescer-me por dentro.
Não sei em que pensar, não sei em quem acreditar. Será que não existem pessoas melhores neste mundo? será que existe mesmo um mundo?
Sonhos não realizados e frustraçoes que ocupam a cabeça.
Não há paciencia e existe sempre o sorriso cinico estampado no rosto. Tem de ser porque os outros não podem aperceber-se de que estou mal. Não posso falhar nesse aspecto porque tenho e quero transparecer uma pessoa forte e que nada a deita abaixo.
Não sei se foi um erro, não sei se me deva arrepender, não sei o que pensar daqui para a frente, não sei se quero que haja mais frente. Tenho medo. Mas ambos fomos esclarecedores, ou então não. Foste mais corajoso que eu...
Sinto-me desfeita por dentro tanto a cabeça, como os orgãos estão a morrer e a desaparecer. O coração de tão triste e maltratado que está já quase não existe, eu sinto isto...

Dormir talvez seja a solução...

sexta-feira, maio 05, 2006

Tive momentos em que parei e pensei naquilo que me atormenta desde ontem mas a maior parte do dia consegui abstrair-me disso. Rir e fazer rir nós temos esse poder... Somos todas muito especiais e indispensáveis na turma. Cada uma tem o seu papel. Obrigado.
Bem, a verdade é que aquela mensagem me apanhou de surpresa. Não percebi a razao mesmo. E tinha de vir logo agora né? Parece que adivinhas os momentos maus, não percebo. Axo que mesmo já nao tendo nada a ver um com o outro continuamos cumplices, só pode. Mas eu não quero, consegui ignorar-te. Senti-me a mulher mais forte e corajosa do mundo. Sim, porque tu não mereces outra coisa... E tu sabes disso.
E hoje será mais uma noite, boa ou má ninguém sabe. Já não tenho grandes expectativas, a companhia não é das melhores e já se sabe porquê. Quando mete miudagem nunca da bom resultado, já se sabe...
Mais uma vez não me apetece estudar. Axo que me vou deitar até á hora d tomar banho e vestir pa ir ter com eles ao restaurante, sim porque não tinha pasta pa ir jantar axam normal? LOOOL.. vida de pobre...

os olhos pesam..

quinta-feira, maio 04, 2006


Porque está imagem me transmite:
tranquilidade;
paz;
Pensamentos positivos;
recordaçoes mágicas;

E é mesm disto que preciso neste momento...
Tenho medo, a noticia que recebi não foi das melhores. Estou mesmo muito assustada. Pensei que já tinha enterrado este problema, que estava tudo resolvido mas pelos vistos nao está, nem pouco mais ou menos.
As pessoas que já sabem tentam tranquilizar-me, mas não está a resultar muito bem porque não estou a conseguir abstrair-me disto. É dificil e tenho muito medo.
Tenho de estudar mas não consigo, é horrivel esta sensação de impotencia de não poder saber logo o que tenho, de medo... Só me vem á cabeça a expressao; e se...?
Quero abstrair-me de tudo isto, talvez amanha já esteja melhor. Isto é qualquer coisa de péssimo porque mexe com tudo, a nivel fisico, emocional, psiquico...

Sinto o corpo pesado e sem força...

terça-feira, maio 02, 2006

O mundo continua a girar, a vida não para, as coisas para fazer acomulam. Tenho um monte de coisas para estudar, um monte de trabalho para fazer, um monte de sono para dormir...
Este fim-de-semana fez-me bem. Axo que coloqueia as ideias no lugar, ou não, mas pelo menos tentei.
Já não penso em ti, pelo menos por enquanto. E enquanto este enquanto insistir em resistir eu fico feliz.
Fiz novos e especiais amigos, é sempre muito bom quando isto acontece.
Queria ter coragem para me desprender de certos pensamentos que me invadem a memória, o coração e até mesmo a vida.
Não posso falhar, tenho de me aplicar mais, o tempo é cada vez menos e vejo-o a escorrer-me pelas mãos.
Levanto questoes para as quais não tenho tempo de pensar em respostas e eu sei disto mas não consigio deixar de as levantar.
Queria ter a capacidade de me abstrair de tudo quando é necessário.
Não tenho muito tempo para me capacitar da vida que tenho de levar. Não muito tempo para ponderar hipotes4es de mudança. Preciso de um sinal Teu que num click me ponha as ideias no lugar. Que num click me ivada o pensamento apenas com coisas necessárias e indispensáveis. Preciso mesmo desse Teu click. Ajuda-me.
Cá está o meu egoísmo mais uma vez, tu já sabes como é né? Eu já te expliquei várias vezes.
Levantam-se questoes em relação ao meu futuro. Estou mesmo muito curiosa. Estou ansiosa. Quero saber mais, quero saber tudo, mas não é possivel. Infelizmente.
Aqui é o meu diário. Aquele que ninguém lê e isso deixa-me tranquila. Aquele que até mesmo alguém lendo não compreende muitas das coisas. Mas se for eu a ler eu compreendo perfeitamente. Adoro transmitir para aqui aquilo que sinto, neste momento é mesmo um grande confidente. E é tão facil dize-lo aqui que ninguém nos está a ouvir. Tneho procurado anciosamente alguem assim como isto, que me ouça sem dizer nada, que me deixe falar falar falar sem fazer qualquer expressão, seja ela de agrado ou desagrado, é indiferente. Mas vou deixar de procurar, não vale mesmo a pena. Quero lá saber.
Tudo na vida poderia ser mais facil seu fosse mais coerente, lógica e pouco ambiciosa. Ainda bem que não o sou, porque neste contexto tenho a certeza que estas dificuldades serão bastante positivas. São elas que me fazem crescer e perceber o verdadeiro sentido da vida, do que é viver.
Axo que neste momento quero dar mais aos outros e menos a mim mesma, vou tentar. Vou tentar ser uma pessoas melhor, menos egoista.
Vou continuar a tentar vingar na vida mas de uma forma melhor. Talvez precise mesmo de me confessar senhor padre, talvez seja este o momento. Ou talvez não. Vou esperar mais uns tempos. Axo que a partir de Agosto a minha vida correrá como tenho vindo a sonhar. Vou esperar. Indica.-me o melhor caminho, preciso da Tua ajuda.

A precisar de um banho.